Número total de visualizações de página

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

JN - QUATRO DIAS QUATRO MORTES




Da minha janela espreitei o mundo...

Como num sonho, é recorrente o que vejo e leio: homem mata
a esposa, (ou companheira), é igual...

E foi isto durante 4 dias...
Durante 4 dias o horror, de quem muitas vezes morre, porque
as autoridades não ouviram os seus apelos, (ele mata-me...)
Ou porque quando a polícia  cumpre o seu dever os apresenta aos juizes, que perante a lei  vigente apenas os podem mandar embora...

E enquanto nos vamos  angustiando com a realidade  da
violência conjugal neste país da saudade e do fado triste,
ninguém faz nada para alterar  esta lei que só é utilizável 
depois de  uma mulher perder a vida. Preventivamente nada
se fez ou faz.

São só 4 mortes em 4 dias; podiam ser mais, mas são estatisticamente, só 4 vidas em 4 dias.
E sobre o assunto:
O ministro  da tutela falou?  se falou ninguém ouviu nada.
Os deputados falaram? se falaram ninguém os ouviu.
Porque haveriam de falar???
Pôrra!!! São só 4 mulheres... não mortas mas abatidas por maridos, ou companheiros loucos e um deles até era polícia;
e a arma  que a matou era a arma que lhe confiaram para
defender vidas...

Brados aos céus...

Mas é claro, neste país NÃO SE PASSA NADA... 
...e entretanto também andamos todos entretidos a ouvir
o ministro das finanças, que esse sim, fala muito todos os dias   no seu ar superior,  professoral e com rodriguinhos, e nos mata a esperança e aviva a vontade de não termos nascido Portugueses.

Mais palavras para quê?