Número total de visualizações de página

segunda-feira, 27 de junho de 2011

TI MARIA E A RAPOSA

Dei comigo a pensar: se La Fontaine ainda existisse fisicamente, pois através da sua obra, ele será eterno; como descreveria a relação da raposa de Justes com a ti Maria e o ti Mário?

A raposa das fábulas de La Fontaine sempre saía castigada, humilhada vilipendiada e a sua esperteza e sagacidade era mal-quista pese, embora, as lições de moral de vida que elas transmitiam.

Era eu, pequenote, e sempre ficava algo tristônho e contrariado pela pouca sorte da raposa, esse bonito e sagaz animal... 
Claro que isso foi há muitos anos e os tempos mudaram e se mudaram para os humanos também mudaram um pouco para os bichos  livres e selvagens que com os homens  partilham e beneficiam deste maravilhoso planeta azul.

Mas, a raposa de Justes não é da terra de LA FONTENE,  a região francesa de champagne, mas sim da região transmontana  de Miguel Torga, e também  minha, e eu imagino  como Torga descreveria a relação da raposa com os habitantes de Justes, ele que nos deixou nos CONTOS DOS BICHOS descrições maravilhosas   de tal forma que  a ligação entre os bichos e o homem chegam a
ser humanizadas.

A descrição e filmagens da televisão efectuadas em Justes, Vila Real, demonstram como gente simples
de terras onde ainda existe a solidão do tempo, abrem o seu coração a um gesto que para todos deveria
ser simples  imperativo de consciência e de doutrina: DAR DE COMER A QUEM TEM FOME...

Afinal a região transmontana,  junto ao marão, (que nunca deu palha nem pão), e que  ultimamente tem andado envaidecida, porque de lá é o actual chefe do governo e a presidenta da assembleia da república, (o que confirma o ditado: do lado de cá do marão, mandam os que de lá são), mostra aos portugueses, e espero que ao mundo, como é possível a partilha de ALIMENTOS e de AFETOS  entre humanos e bichos numa relação quase humanizada  unidos que estão na esperança e na desgraça.

Se a lição da ti Maria e seus vizinhos tiver eco no seio desses  nossos governantes talvez os tempos dificeis que se avizinham sejam suavizados.
Por mim tenho esperança mas muitas... muitas.. dúvidas.



foto de raposa tirada da net de autor desconhecido



João Quitério, Gaia 2011